terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Linguagens do Amor

Todas as pessoas tem necessidade de sentirem aceitas e amadas. E  o amor sem dúvida é multiforme e  tem inúmeras linguagens. O Dr. Gary Chapman, cinco linguagens predominantes, quais sejam: 
1. Toque físico
As pesquisas mostram que as crianças mais acariciadas serão adultos mais seguros, bem como que as pessoas que são tocadas desenvolvem menos doenças.
Carícias, abraços, beijos, qualquer tipo de toque físico são formas poderosas de expressar o amor de forma efetiva.
Essa é a linguagem predileta dos homens, sentem-se especialmente amados ao  serem tocados.

2. Qualidade de tempo
Dedique ao menos quarenta minutos diários exclusivamente as pessoas que você ama, sem nenhuma interferência de TV, telefones ou qualquer outra coisa.
A dica que deixo para os pais que tem vários filhos é  dedicar um dia por mês  para ter o dia do filho (a) único(a).

3. Presentear
E os  presentes não precisam necessariamente ter um alto preço, mas com certeza terá alto valor. Os presentes representam uma fase da vida da pessoa, da relação familiar ou amorosa.
Presentes fora das datas convencionais geram amor no coração da outra pessoa.

4.  Gentilezas ou Atos Amorosos
Como é bom quando a pessoa atarefada ouve a pergunta posso te ajudar em alguma coisa?
No casamento  os atos amorosos, cuidar um do outro é fundamental e ensinar isso para os filhos  por intermédio do exemplo também é muito importante.
Uma pessoa prestativa e que tenha compaixão certamente será mais feliz.

5. Linguagem de afirmação e Elogios
Muitas pessoas sem dúvidas são auditivas e precisam da linguagem falada para se sentirem amadas.  A linguagem amorosa  faz parte do universo de todas as pessoas, todos tem necessidade de  sentir aceitos e amados.
As mulheres em dúvida usam essa linguagem de amor. As palavras de afirmação alegram o coração da pessoa amada. E muitas mulheres reclamam que não ouvem elogios e palavras amorosas tanto quanto gostariam.
Elogios, palavras afetivas e afirmativas fazem com que as crianças cresçam com autoestima equilibrada. As palavras são poderosas podendo ser diamante ou dinamite na vida de uma  pessoa.
O marido chega em casa, lava o carro da esposa, corta a grama, vai ao mercado e a esposa no final do dia está chorando dizendo que o marido não tem tempo para ela.
O mesmo se aplica a educação de filhos, muitas vezes os pais se ausentam para dar uma condição socioeconômica ótima para os filhos, com atos de serviço e o que mais esses filhos queriam era tempo de qualidade e palavras afirmativas.  

A vida agitada, inúmeros compromissos absorvem o tempo e energia de tal sorte que no final do dia, apresenta-se um nível de cansaço extremo e algumas vezes comportam-se de forma robotizada. E o convívio familiar ou amoroso é prejudicado pela falta de tempo de qualidade.
Portanto, é preciso separar um tempo de qualidade para o convívio familiar e amoroso, não só quantidade, mas qualidade de tempo, dedicar-se as pessoas amadas constrói relacionamentos saudáveis.

Os presentes até pode ser uma tentativa de materializar o amor, mas também é  uma bela forma de demostrar que lembramos da pessoa, que a estimamos.Inclusive é uma linguagem universal porque todas as culturas entendem o presente como um gesto de carinho e amor. Os presentes representam ícones de amor.
O amor sempre deve ser acompanhado de ATITUDES amorosas. Ser gentil, auxiliar a pessoa amada, seja cônjuge , filhos ou pais nos afazeres  até mesmo os de casa é uma forma de expressar amor.

Conhecer a sua  linguagem predominante e de seu familiar( filho/cônjuge) é fundamental para que as pessoas se sintam efetivamente amadas. Para melhor ilustrar deixo uma pequena história para reflexão:

Nesta história, a linguagem de amor do marido é forma de serviço e da esposa é tempo de qualidade.

O livro As Cinco Linguagens do Amor, foi traduzido em todo o mundo para mais de 32 idiomas e por  trezentas semanas foi o livro mais vendido segundo o New York Times.Texto da Psicóloga Lilian Ramos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor registre seu e mail para comentar, ok?